segunda-feira, julho 16, 2007



sophia de mello breyner andresen, ausência

11 Comments:

Blogger menina tóxica said...

está linda esta foto com o verso da sophia.
:)

7/16/2007 11:55 da tarde  
Blogger a. said...

que bom ver-te por aqui, tóxica

(qualquer foto fica linda com os versos da sophia, mas não contes a ninguém que te ensinei o truque)

7/17/2007 12:09 da manhã  
Blogger menina tóxica said...

eu passo sempre por aqui. mas mais caladinha :)

(ok. prometo que não conto.)

7/17/2007 12:44 da manhã  
Anonymous dsk (o que morreu) said...

Queria dizer coisas bonitas, mas sempre que olho para estas fotografias, perco a voz.

7/17/2007 2:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

e na vossa opinião, inspirando-se na fotografia, se o poema continuasse, como terminaria? (olha! que bela estrófe esta! Vinda de mim, quem diria?) rimei 2x estou on fire :)

como sempre muito bom gosto na escolha das imagens e das mensagens...

amon293

7/17/2007 5:23 da manhã  
Blogger eyes shut said...

há ausências que fazem nascer desertos em nós...que nos secam as entranhas, mas de tão belos, quase os deixamos vencer...

7/17/2007 11:02 da manhã  
Blogger bruno .b.c said...

gosto muito, a. desta e da anterior (que ainda gostei mais). actos menos lícitos à parte (tais como clicks como mãos a levarem o que querem) fica um abraço.
(os desertos são belos, não?)

7/17/2007 7:06 da tarde  
Blogger a. said...

prazer em conhecer-te ilustre dsk :))

(não faz mal, há coisas que se dizem melhor em surdina)

7/17/2007 7:45 da tarde  
Blogger a. said...

amon: da mesma maneira. é perfeito assim.

7/17/2007 7:45 da tarde  
Blogger a. said...

quase...

7/17/2007 7:48 da tarde  
Blogger a. said...

bruno, eu também gosto mais da anterior :)
(pena ainda não terem inventado as self-destructing-stolen-pictures)
;)

7/17/2007 8:02 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home